Portal atualizado em: 3 de dezembro de 2021 às 9:14h

Economia

Início Economia

Areia Branca faz parte do Pólo Turístico Costa Branca, composto por 17 municípios, que buscam o desenvolvimento do turismo de forma sustentável e viável, valorizando suas paradisíacas praias e a beleza peculiar das cidades do interior do Rio Grande do Norte.

O município é a parte do litoral do Rio Grande do Norte, onde se destacam vários pontos de atração turística, sendo rico em petróleo, sal e pescado, e com certeza, é um dos destinos mais procurados da região em períodos de veraneio.

Sal: O ouro branco do Rio Grande do Norte

 

O Rio Grande do Norte responde por 95% da produção de sal de todo o país e Areia Branca contribui decisivamente para esse ranking com uma fonte inesgotável do nosso “Ouro Branco”. Produto ligado às origens do município, o sal é sumariamente importante para a economia do município, possui o Porto Ilha (ilha artificial) construído em alto mar com o seu projeto de engenharia reconhecido internacionalmente e considerado um dos melhores projetos em todos os ramos de engenharia naval do mundo que escoa a produção de sal da região para o Brasil e muitos países.

O sal de Areia Branca é vendido, tanto internamente em várias cidades do Estado do Rio Grande do Norte e outros estados brasileiros, quanto externamente vendido em países como: Argentina, Chile, Estados Unidos, Bélgica, Venezuela e Nigéria. De acordo com a CODERN, em 2016, foram embarcadas, no porto de Areia Branca, mais de duas mil toneladas de sal.

Sal: essencial para a vida

 

O sal é um componente essencial à nossa vida, com mais de 14.000 usos conhecidos. Muitos destes usos derivam das propriedades químicas do sódio e do cloro e dos seus papéis essenciais na nutrição humana e animal, como também muitos outros usos comuns, porém, igualmente importantes. E dentre os usos mais conhecidos do sal podemos destacar os seguintes: Indústria Química (fabricação soda cáustica, por exemplo), Indústria Alimentícia (salde cozinha, por exemplo), Agricultura, Tratamento de Água, e outros.

Petróleo: O ouro negro de Areia Branca

 

A cidade de Areia Branca é um dos maiores produtores de petróleo em terra, e está entre os primeiros colocados em arrecadação de Royalties. O tributo pago pela Petrobrás é uma das principais fontes de arrecadação do município, utilizado na melhoria da infraestrutura da cidade e no bem-estar da população.

Potencial abundante para a pesca

 

Atualmente, a atividade de pesca no município é desenvolvida de forma artesanal, caracterizada por embarcações de pequeno e médio porte, com baixa a média autonomia de pescaria, subdividindo-se em pesca artesanal comercial, seja por pescadores de forma isolada, utilizando seu próprio recurso (barco, rede, armadilha de pesca, outro), tanto para a venda, quanto para subsistência. A atividade também contra com a prestação de serviço aos empresários da pesca do atum e afins.

PRODUÇÃO/LUCRATIVIDADE: A produção da pesca artesanal local (subsistência/comercialização) tem média de 1000 toneladas ano. Já a produção da pesca do atum e outros (Bonito-listrado; Durado; Cavala; Agulhão; Cação; Peixe-rei) é de aproximadamente de 3.000 toneladas/ano.Essa produção pesqueira gera um volume de cerca de R$ 20 milhões/ ano.

PESCA DO ATUM: A partir do colapso da pesca de lagostas, em meados de 2005, buscou-se uma alternativa que pudesse suprir os investimentos com embarcações e equipamentos. Foi realizada por quase toda a frota motorizada a alternância para a pesca de atuns e afins, no Atlântico Equatorial, pois possuía e possui fluxo continuo de produção mensal no município e contribui diretamente, além da comercialização de pescado com empregos diretos e indiretos.

BENEFÍCIOS: A pesca gera renda através da comercialização direta e indireta do pescado, compra e venda de petrechos para a pesca, combustível, injeta renda no turismo local (restaurantes e pousadas) e nos últimos anos com a contribuição científica para caracterização do estoque pesqueiro de atuns e afins no Atlântico Equatorial, através de parceria com Universidades e pesquisadores do ICCAT (Comissão Internacional para a conservação de Atuns no Atlântico).

NÚMERO DE EMBARCAÇÕES:
Pescadores cadastrados na colônia = 350
Pescadores não cadastrados = 1000
Pesca artesanal (bote, jangada, paquete, catraia, batelão outros): média de 500 embarcações;
Pesca de atuns e afins: média de 30 embarcações;

MERCADO: Da pesca artesanal (comercialização local e de subsistência) quase que na sua totalidade permanece no município. A pesca de atuns e afins apresenta cerca de 70% da produção comercializada para a capital e outros estados do Nordeste e também do País. Os 30% restantes são comercializadas no mercado público da cidade.

Turismo impulsiona a economia

 

Com praias de tirar o fôlego e belezas inigualáveis, Areia Branca desponta como um lugar promissor para o desenvolvimento turístico. Com praias pouco habitadas, reserva ótimas surpresas para quem pretende se aventurar nos esportes náuticos ou em busca de tranquilidade. A cidade conta com estrutura para hospedagem de um hotel e 10 pousadas. Os restaurantes rústicos à beira mar são típicos de cidades litorâneas e acolhedoras.

O turismo religioso é outro diferencial no calendário de eventos de Areia Branca. De 05 a 15 de agosto a cidade se transforma num símbolo de devoção e fé com a Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, a padroeira dos marítimos. São 10 dias de uma intensa programação religiosa e a estimativa de público superior a 150 mil pessoas. Destaque para a Procissão Marítima, que reúne milhares de fiéis.